Financeiro

E agora? É preciso gerir o caixa com maturidade e profissionalismo

Continuando o papo com o Victor Cosme, desenvolvedor pessoal, vamos falar sobre valor, gasto, receita e lucro.

Você sabe a diferença e a importância de cada um deles?
Aproveite a leitura e confira alguns pontos que farão a diferença no resultado da sua instituição.

“Se não sabe brincar, não desce para o play.”

Conheço muitas pessoas talentosas e competentes que passam mal só com a ideia de empreender.

Para eles, a segurança que um contrato de trabalho traz é muito mais atraente do que a realização – e os resultados financeiros – que um negócio próprio pode trazer.

Ainda mais nestes tempos distópicos que temos vivido por conta da COVID-19.

Não há nada de errado em nenhum dos 2 caminhos. Mas, se você escolheu ser dono (ou fazer a gestão) do seu sonho, seu negócio, sua escola, não dá para reclamar todos os dias. Isto tem nome: mimimi.

O que você tem mesmo a fazer é arregaçar as mangas e trabalhar.

A primeira coisa a entender é que, mesmo antes desta crise toda, as regras do jogo já tinham mudado.

Qual foi a grande estrela da copa de 2018 na Rússia?

Pense bem, não foi nenhum atacante, goleiro ou defensor. A estrela da Copa de 2018 foi o VAR. A malandragem (como o gol de mão de Maradona em 1986), que era tida como um grande diferencial, hoje não tem mais lugar.

Acontece absolutamente o mesmo na gestão das finanças.

Os órgãos fiscalizadores têm todas as informações que quiserem, no tempo que quiserem. Eles sabem TUDO sobre seu negócio!

Existe um grande VAR olhando para a sua operação. Então, entenda definitivamente que:

  • Impostos, por mais injustos que possam parecer, devem ser pagos ou negociados;
  • As palavras “jeitinho”, “caixa 2”, “por fora” devem ser esquecidas;
  • Por incrível que pareça, a pessoa física e a pessoa jurídica são entidades diferentes;
  • Ter um bom contador é fundamental;
  • Ter um bom advogado é essencial;
  • Decisões devem ser tomadas baseadas em informações e a tecnologia deve oferecer subsídio para isto (falaremos no próximo texto).
  • Coloque o complience definitivamente na sua maneira de pensar e no dia a dia da sua escola.

Outra coisa importante a saber é que alguns fundamentos são vitais para gerir uma escola (ou quaisquer outros negócios).

Nem vou falar aqui que escola É UM NEGÓCIO. Já passamos desta fase. Portanto pare definitivamente de dizer “escolinha”, “projetinho”, “aluninho” – caso contrário você terá sempre um “negocinho”.

Então, vamos aos fundamentos:

  1. O seu negócio existe para ter lucro, ou como dizia o primeiro mandamento da TAM ainda na época do saudoso Comandante Rolin:

“Nada substitui o lucro”;

  1. De uma forma subjetiva podemos dizer que: LUCRO é o resultado das nossas decisões e ações (que têm que ser SEMPRE baseadas em informações). Estas decisões e ações devem visar sempre manter a equipe cada vez mais comprometida e o cliente cada vez mais fidelizado (como descrito nos textos anteriores);
  2. Mas, se formos apelar para o bom “financês” temos:
    • LUCRO = RECEITA – CUSTO – GASTO
    • E aí, vale lembrar que:
    • RECEITA – é a entrada monetária que ocorre na Instituição (anuidade, material didático, cursos livres, etc.).
    • CUSTO – é a energia necessária dedicada à produção de um bem ou serviço (corpo docente, instalações, tecnologia, estrutura, impostos, etc.).
    • GASTO – é a saída de recurso financeiro que não se identifica com o processo de transformação ou produção do bem ou serviço (despesas bancárias, material de escritório, etc.);
  3. Então é simples, para obter lucro “basta” aumentar a RECEITA e/ou diminuir o CUSTO e o GASTO.

Mas… Vamos diferenciar pra valer CUSTO de GASTO?

CUSTO é o valor empregado naquilo que o cliente, de fato, valoriza e que nos torna diferentes dos outros players na visão dele.

GASTO é todo o resto.

Quando penso nisto, sempre me vem em mente a história de uma famosa marca de pão de queijo que foi comprada por uma multinacional americana gigante. (https://exame.com/pme/comecar-de-novo-2/). Dez anos depois, com as vendas em queda, foi recomprada pelos antigos donos. “Para ficar mais barato, os americanos diminuíram o queijo na fórmula”, declararam os antigos donos ao reassumir o comando. Sim, eles diminuíram o queijo do pão de queijo!!!

Não vá reduzir CUSTOS achando que está diminuindo GASTOS!!!

 

Quero deixar elencados aqui alguns pontos que farão toda a diferença no resultado da sua instituição:

  • CONHEÇA

Li e ouvi várias vezes do fabuloso escritor Roberto Tranjan que você só reconhece aquilo que você conhece. Não há como reconhecer oportunidades de melhoria do desempenho do seu negócio sem conhecer os números.

  1. Caso ainda não tenha, crie uma rotina diária para se familiarizar com as informações;
  2. Entenda de onde vem e onde são empregados os recursos da sua instituição;
  3. Identifique as maiores despesas;
  4. Descubra quais são os dias do mês mais críticos do fluxo de caixa.

 

  • ELIMINE

Conheço vários mantenedores que criam as suas escolas para servir a eles próprios. Mesmo em tempos de crise, como os que estamos vivendo, eles não são capazes de abrir mão de certos luxos totalmente supérfluos. O seu negócio foi feito para o seu cliente. Todo recurso que sai da sua instituição que não é dedicado para ele, está sendo desperdiçado.

  1. Identifique os 2 maiores gastos em sua instituição e elimine-os agora mesmo. Acredite, não vão fazer falta;
  2. Se não puder eliminá-los, reduza-os ao menor nível possível;
  3. No próximo mês, faça o mesmo.

 

  • DIMINUA

Um dos traços mais importantes que eu tenho visto nos empreendedores de sucesso é a sua inquietude. “Sempre existe uma forma de fazer melhor por menos” diz o mantenedor de um grupo de escolas muito representativas na zona sul de São Paulo.

Procure sempre oportunidades de diminuir os CUSTOS do seu negócio, mas sem abrir mão daquilo que o seu cliente valoriza.

Negocie com o seu fornecedor, mas lembre que ele nunca deve ser seu inimigo. Deve existir um cuidado com o sucesso mútuo. Se o seu fornecedor não é assim, é hora de repensar a relação.

  1. Converse com os seus 3 principais fornecedores, aqueles que oferecem os produtos e serviços que fazem a diferença na visão dos seus clientes e negocie com eles. Entenda o modelo de negócio de cada um e encontre maneiras de diminuir o seu próprio custo sem ferir a perenidade dos negócios deles;
  2. Embora todas as tarifas provenientes da relação com as instituições bancárias sejam consideradas GASTOS, fica claro que não é possível para o seu negócio existir sem os serviços que o banco oferece. Mas é sempre possível conversar com o seu gerente e solicitar uma redução nestas tarifas.

 

  • DESENVOLVA

Aproveite este momento para estabelecer parcerias. Existem inúmeras oportunidades que podem ser desenvolvidas junto a provedores de serviços da sua região e aos seus próprios fornecedores. Principalmente os negócios on-line.

  1. Crie parcerias de valor;
  2. Com base na oferta de seus parceiros, ofereça algo inovador para os seus clientes e aumente a percepção de valor do seu negócio. Desta forma você gerará mecanismos para aumentar as suas receitas com um gasto mínimo de energia.

 

  • COBRE

É chato, mas tem que ser feito. Este é um dos recursos mais caros da sua instituição: A inadimplência.

  1. Dedique energia e crie um processo;
  2. Acompanhe cada negociação;
  3. Procure entender as “dores” do devedor e encontre formas que atendam às necessidades de ambos;
  4. Coloque sempre a compaixão na mesa.

 

  • APROVEITE

Fique atento a tudo o que a legislação pode oferecer ao seu negócio sem correr riscos desnecessários.

  1. Faça pelo menos uma consulta com um advogado para tirar as suas dúvidas sobre as medidas em vigor e como se aproveitar delas;
  2. Avalie com o seu contador se uma mudança no regime tributário pode ser vantajosa para a sua escola;
  3. Procure estar o mais atualizado possível quanto à legislação. Está literalmente tudo mudando com uma velocidade assustadora. A mega competente Dra. Joana Doin por exemplo, oferece um conteúdo fantástico no Instagram (@weblegal8).
  4. Participe de grupos (via redes sociais) e compartilhe as suas dúvidas, descobertas e busque informações de outras escolas. Eu mesmo tenho o grupo PAPO GESTOR onde são levantadas ótimas pautas de interesse de todos.

 

Analisar estas orientações e colocá-las em prática pode não ser uma garantia de prosperidade, mas é certo que todas as instituições de sucesso incorporaram estas regras no seu dia a dia.

O seu negócio foi feito para prosperar. Aceite este chamado.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *